Mulheres na Segurança da Informação - CECyber
Menu fechado

Artigos e Notícias

Mulheres na Segurança da Informação

O Dia Internacional da Mulher é sempre uma ótima data para reforçar questões importantes para o universo feminino e trazer à tona pontos que ainda precisam, e devem, ser mais discutidos em nossa sociedade.

Em termos de carreira, as mulheres ainda são minoria em áreas relacionadas à tecnologia da informação, mas essa realidade vem mudando. Mais especificamente na área de Cibersegurança, o número de mulheres na profissão saltou de 11% para 29% entre 2017 e 2019, segundo estudo da ISC².

Apesar de cada vez mais mulheres estarem conquistando seu espaço e se destacando em profissões majoritariamente masculinas, as dúvidas de quem quer iniciar na carreira ainda são grandes. A CECyber conversou com Edna Mataruco Duarte, professora e coordenadora do curso de Segurança da Informação na Fatec São Caetano do Sul, sobre a atuação das mulheres no mercado de TI, além de dicas para quem quer entrar na área.

1. Como você vê a presença feminina na carreira de Segurança da Informação nos últimos anos? Houve um avanço?
Edna – A mulher vem conquistando, nos últimos anos, um papel importante no mercado de TI. Lembro que ao iniciar na área eram poucas as mulheres que trabalhavam na parte técnica ou que frequentavam cursos técnicos de informática, agora esse número está crescendo cada vez mais, e o mercado está contratando essas profissionais. Porém, ainda há um longo caminho a percorrer, mas sem dúvida existe mercado para todos.

2. Quais os desafios mais comuns enfrentados pelas mulheres que atuam na área de Segurança?
Edna – Os desafios com relação a mulher, neste mercado, é a formação, mas isto é comum para todos os gêneros, na minha percepção. Uma boa formação acaba por romper algumas barreiras, que possam existir no mercado. Assim, profissional com boa formação, facilidade de comunicação, que saiba trabalhar em equipe, que tenha um bom networking e que trabalha com foco na resolução de problemas, entre outras habilidades, dificilmente ficará sem colocação no mercado.

3. Na sua opinião, o que precisa mudar para que mais mulheres busquem capacitação e oportunidade de trabalho nessa área?
Edna – Mudança de cultura. Uma forma de alterar é um maior esclarecimento de todos com relação à área, mercado de trabalho e formação deste profissional. Acredito que palestras, oficinas e outros eventos voltados aos outros níveis de escolaridade, como ensino fundamental e médio de instituições públicas e privadas, poderiam contribuir para desmistificar alguns “pré-conceitos” que ainda existam com relação à atuação da mulher no mercado de TI e, mais especificamente, de Segurança da Informação.

4. Como uma mulher pode se destacar na área de Segurança da Informação? Quais as principais características e soft skills que as mulheres possuem e que podem agregar no dia a dia de trabalho?
Edna – A mulher pode atuar nos diferentes segmentos da área de Segurança da Informação, tudo depende de seu interesse pelo assunto. Vejo um grande potencial na Gestão de Segurança da Informação, por conta de sua habilidade com trabalho em equipe, resolução de conflitos, facilidade de organização de procedimentos e processos, facilidade com documentação, boa comunicação, resolução de problemas, entre outras habilidades.

5. O que você diria para uma mulher que está iniciando ou em dúvida sobre entrar em uma carreira de Segurança da Informação ou áreas afins?
Edna – Diria que procure informações sobre a mulher no mercado de trabalho de TI com profissionais da área, de preferência mulheres que já atuem em Segurança da Informação ou outras áreas de TI. Indico também que busque informações em sites confiáveis, como a Womcy, uma organização sem fins lucrativos, e outros eventos voltados para este grupo em específico, e neste caso, temos vários gratuitos. Além disto, na Fatec São Caetano do Sul – Antonio Russo, oferecemos o curso de Segurança da Informação e estamos à disposição para esclarecer as dúvidas com relação ao curso e ao mercado de trabalho.

Sobre a entrevistada

Edna Mataruco Duarte possui doutorado em Ensino de Ciências e Matemática e pós-graduação em Tecnologias em Segurança de Sistemas e Ambientes. Atua como professora e coordenadora no Curso de Segurança da Informação na FATEC São Caetano do Sul, e como professora em outras instituições de ensino superior. No mercado corporativo, presta consultoria na área de infraestrutura e segurança da informação em projetos ligados a soluções de: Virtualização, Cloud Computer, Plano de Continuidade de Negócios de TI, Administração e Gerenciamento de redes, utilizando boas práticas e frameworks existentes no mercado como ITIL, COBiT, PMBok e Scrum.